Sonho Escuro

5 08 2008

Eu, no meio das ruínas que se movem, das sombras que sopram, das almas em fuga para dentro da vida.
Tu, no meio das ruínas paradas, das sombras que já não respiram, das almas em fuga para longe da vida.
Amanhã, sempre amanhã, tentaremos acordar no mesmo sítio de sempre e o abismo do medo e da dor irá rir-se de nós enquanto nos engole ou nos deixa passar.

Fernando Ribeiro

Anúncios